28 de maio de 2010

O nome da bolinha : Granuloma

Aquela bolinha que da do lado do piercing do nariz, orelha, umbigo... Normalmente são isso, um granuloma. Se põem o Piercing, este que é, uma porta aberta no corpo pra invasão de micróbios, fungos , bactérias, etc.. Não havendo a limpeza correta da perfuração durante a cicatrização, micro-organismos externos entram no corpo e se multiplicam, isso chama-se infecção. O corpo isola e forma a bolinha como é na pele, ela aparece e facilmente é drenada. Deve ser feita a assepsia do tecido e demais cuidados, a  pele cicatriza com o tempo. As vezes com o uso de tesoura, pinças , com bisturis profissionais habilitados como clínicos em casos mais graves removem esse tecido formando em volta da infecção. Cuidando e prevenindo se evita a ponta da lâmina e tratamentos com remédios que tem efeitos colaterais ruins pra saúde.


Tecnicamente: Um granuloma é um tumor formado no tecido granuloso; massa supérflua de tecido de granulação formada no local de uma infecção localizada demorada. Popularmente conhecido como "carne esponjosa", o granuloma é a proliferação de vasos sanguíneos que forma uma lesão tumoral secundária a um traumatismo, como os provocados pelos alicates das manicures ou por uma unha encravada, sendo o canto das unhas a localização mais comum.




Manifestações clínicas: Frequentemente localizado nos dedos, o granuloma piogênico caracteriza-se por uma lesão tumoral, avermelhada ou arroxeada, úmida, de consistência mole e que sangra facilmente aos pequenos traumatismos. O seu crescimento é rápido e o sangramento pode dar origem à formação de crostas escuras sobre a lesão. Geralmente acompanha-se de processo inflamatório local, com vermelhidão, inchaço e dor na pele ao redor da lesão. É um aglomerado de células inflamatórias ao redor de alguma coisa (um parasita, por exemplo).

fonte :shvoong

19 de maio de 2010

Oá coloquei um piercing de língua e ja vai complementar 5 meses.. e ja ouvi muitas coisas como cancêr de Língua, e necrosar a lingua tbm..keria saber pq ocorrem essas coisas se é quando coloca o piercing se é por falta de higiene, ou depois de muito tempo?

Excelente pergunta Karina, são vários os pontos de vista, alguns pre conceitos e nenhum estudo conclusivo.
Mas assim na minha interpretação, o piercing por si só não causa câncer por ser uma arte milenar, adornos corporais já fazem parte de nossa cultura a milhares de anos , sempre usando o que a natureza oferece. Dai inventaram biossegurança e a china entrou na jogada.
Quando até um pote de plástico, uma mamadeira feitos com material ruim podem causar câncer, engolir fluor causa doença.
E são resíduos cumulativos no corpo, fazem mal depois de 20, 30, 50 anos de contato ou uso. Manifestam-se sintomas e doenças.
Focando o piercing, vejo que colocar um piercing em local insalubre, causa infecções que podem causar traumas, que podem causar até a morte. E o uso de jóias de péssima qualidade que vão oxidando dentro do corpo a curto e longo prazo. Essa oxidação que solta metais no organismo que são nocivos e o corpo não consegue expulsar. Sim pode causar problemas em glândulas e no cérebro. Tem umas argolinhas de nariz bem fininhas coloridas, são feitas com alumínio que causa mal de Alzheimer. E jóias de aço de ligas impróprias que ficam pretas.
Em suma se fazem produtos que por descaso, ignorância ou por pura ganância que causam doenças.
Então, se tem que tomar cuidado tanto com o biológico (HIV, Hepatite, bactérias,fungos). Quanto com metais que dão alergias e intoxição a gente.
Então profissionais que usam materiais com procedência, de forma correta em estúdios.E fabricantes comprometidos com qualidade. Apreciadores de piercing conscientes em não se meter com qualquer um e querendo rápido e barato. Vão evitar muita coisa ruim, mas isso tudo esta longe da nossa realidade, mas existem sim é só procurar. Um bom aço dura 10 anos ,Titânio do que tem que ser é excelente e não faz mal. Um material empregado numa colocação estéril evita as infecções e higiene evita o resto. Fora isso qualquer problema tratado em tempo e de mais rápida e tranqüila cura.

16.05.10 DJ Chapeleta - Virada Cultural Espaço Body Art (3).MOV

14 de maio de 2010

REUNION PRO PIERCING 2010

Já estão abertas as inscrições a todos os interessados em encarar o Body Piercing de Forma consciente e profissional. Se você. é iniciante é uma boa oportunidade de adquirir conhecimento, se já é atuante de fazer uma reciclagem e conferir as novidades, se só é um apreciador da arte será um lugar onde terá outros com o mesmo gosto. Será um café da manha voltado a conversa de quem gosta de Piercing. Todos podem e devem falar e expor suas opiniões nos temas abrangidos. Será realizado junto a Convenção TATTOO PRO 2010, nas dependências do evento. Está a ser confirmada a data 16/10/2010 as 9:30 da manhã. Tem um custo de R$50,00 por participante, incluindo neste valor café da manha e certificado de participação. Séra uma confraternização para expormos nossas idéias, sabermos mais sobre as necessidades de quem trabalha com Body Piercing. Informações para a prática segura de nossa Arte.
Estas reuniões são importantes pra nossa capacitação e pra sermos mais fortes, indenpentende de dia,  hora, certificado e custos.   Contato com Fabrício pelo email : fabriciopiercer@gmail.com e pelos telefones 48 32423923 e 91266747




Com o passar do tempo o formato do Reunion Pro Piercing dividiu-se em 2 partes .A 1º propriamente feita pra piercers conversarem sobre a atualidade do nosso trabalho. A 2º mais abrangente a todos que trabalham em estúdios de tatuagem. formação com a Palestra com Sérgio Beduschi Filho, Médico infectologista. E o apoio da equipe do Laboratório Controller nos instruindo quanto a qualidade e eficácia da nossa biossegurança e certificação do equipamento de esterilização a autoclave.   

13 de maio de 2010

DIPROGENTA


Body Piercer não pode recomendar medicamentos , nem mesmo vendo o problema pessoalmente. Isso é função clínica, exercida por médicos. Não se usa um remédio antes do existir . Mas se manifestar e o uso errado não resolve o problema como pode ocasionar outros.

fabrício Cardoso
Piercer Bambino

 Segue material buscado no Google:



DIPROPIONATO DE BETAMETASONA

SULFATO DE GENTAMICINA
Creme e Pomada
         


FORMAS FARMACÊUTICAS/APRESENTAÇÃO - DIPROGENTA


Uso ADULTO e PEDIÁTRICO
Cada grama do creme contém 0,64mg do dipropionato de betametasona, equivalente a 0,5mg de betametasona e 1mg de gentamicina, formulada em base branca, hidratante, hipoalergênica e isenta de parabeno.Excipientes: serão listados qualitativamente
Bisnagas com 15, 30, 45 gramas.
Cada grama do pomada contém 0,64mg do dipropionato de betametasona, equivalente a 0,5mg de betametasona e 1mg de gentamicina, formulada em base branca, hidratante, hipoalergênica e isenta de parabeno.
Excipientes: serão listados qualitativamente
Bisnagas com 15, 30, 45 gramas.

NFORMAÇÃO AO PACIENTE - DIPROGENTA


DIPROGENTA* apresenta rápido início de ação, estando indicado para o alívio de manifestações inflamatórias sensíveis aos corticosteróides.
DIPROGENTA* Creme deve ser armazenado em temperatura entre 2º e 25ºC e DIPROGENTA* Pomada deve ser armazeando em temperatura entre 2º e 30ºC.
O prazo de validade de DIPROGENTA* é de 36 meses e encontra- se gravado na embalagem externa; em caso de vencimento, inutilize o produto.
Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se está amamentando.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis como irritação ou sensibilização durante o tratamento.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.
Não utilize este produto nos olhos.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE.

INFORMAÇÃO TÉCNICA - DIPROGENTA


Cada grama de DIPROGENTA Creme ou Pomada contém 0,64mg de dipropionato de betametasona, equivalente a 0,5mg de betametasona e 1mg de gentamicina, formuladas em bases cremosas ou com petrolato de óleo mineral, hipoalergênicas, isentas de parabenos.

INDICAÇÕES - DIPROGENTA


DIPROGENTA Creme ou Pomada está indicado para o alívio de manifestações inflamatórias das dermatoses sensíveis aos corticosteróides e quando complicadas por infecção secundária causada por microorganismos sensíveis à gentamicina, ou quando houver suspeita de tais infecções. Estes distúrbios incluem: psoríase,dermatite de contato (dermatite venenata), dermatite atópica (eczema infantil, dermatite alérgica), neurodermatite (líquen simples crônico), líquen plano, eczema (inclusive eczema numular, eczema das mãos,dermatite eczematosa), intertrigo, desidrose (pompholyx), dermatite seborréica, dermatite esfoliativa,dermatite solar, dermatite de estase e pruridos anogenital e senil.


CONTRA-INDICAÇÕES - DIPROGENTA

DIPROGENTA está contra- indicado em pacientes com história de reações de sensibilidade a qualquer um dos seus componentes. DIPROGENTA não está indicado para uso oftálmico.
Corticosteróides tópicos estão contra- indicados em vacínia, varicela e tuberculose da pele.


PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS - DIPROGENTA


O tratamento deverá ser descontinuado em caso de irritação ou sensibilização decorrente do uso deDIPROGENTA. Qualquer dos efeitos colaterais relatados após o uso sistêmico de corticosteróides, inclusive supressão supra- renal, pode ocorrer também com o uso tópico, especialmente em lactentes e crianças.
A absorção sistêmica dos corticosteróides tópicos estará aumentada se extensas superfícies corporais forem tratadas, ou em caso de uso da técnica oclusiva.
Recomenda- se precaução nestes casos, ou quando houver previsão de tratamento prolongado, principalmente em lactentes e crianças. O uso tópico de antibióticos ocasionalmente favorece o crescimento de microorganismos não-sensíveis, incluindo fungos. Caso ocorra ou caso surjam irritação, sensibilização ousuperinfecção, o tratamento com a gentamicina tópica deverá ser interrompido e substituído por terapia adequada.
DIPROGENTA não está indicado para uso oftálmico.

Uso durante a gravidez e lactação
A segurança do uso de DIPROGENTA em mulheres grávidas ainda não foi completamente estabelecida. Assim, o produto deve ser usado durante a gravidez unicamente quando os benefícios presumidos justifiquem o risco potencial ao feto. Este produto não deve ser usado em pacientes grávidas em grandes quantidades ou por períodos prolongados.
Devido a não se saber se a administração tópica de corticosteróides pode resultar em absorção sistêmica suficiente para produzir quantidades detectáveis no leite materno, deve- se decidir pela descontinuar alactação ou interromper o tratamento, levando em conta a importância do tratamento para a mãe.

Uso pediátrico
Os pacientes pediátricos podem apresentar maior susceptibilidade do que os pacientes adultos à supressão do eixo hipotálamo/hipófise/supra- renal induzida pelos corticosteróides tópicos ou exógenos, em função da maior absorção devido à grande proporção da área de superfície corporal para o peso corporal.
Foram relatados em crianças recebendo corticosteróides tópicos: supressão do eixo hipotálamo/hipófise/supra- renalsíndrome de Cushing, retardo do crescimento, demora no ganho de peso ehipertensão intracraniana. As manifestações de supressão adrenal em crianças incluem baixos níveis de cortisol plasmático e ausência de resposta à estimulação com ACTH. As manifestações de hipertensãointracraniana incluem fontanela tensa, cefaléia e papiledema bilateral.


REAÇÕES ADVERSAS - DIPROGENTA


Reações adversas relatadas com o uso de corticosteróides tópicos incluem: ardência, prurido, irritação, ressecamento, foliculite, hipertricose, erupções acneiformes, hipopigmentação, dermatite perioral, dermatitede contato. Os efeitos colaterais mais freqüentes com o uso de curativos oclusivos incluem: maceração cutânea, infecção secundária, atrofia cutânea e miliária.O tratamento com gentamicina pode produzir irritação transitória (eritema e prurido) que em geral não requer descontinuação do tratamento.


POSOLOGIA - DIPROGENTA


Aplicar quantidades suficiente de DIPROGENTA Creme ou Pomada sobre toda a superfície atingida, duas vezes ao dia, pela manhã e à noite. Em alguns pacientes, o tratamento de manutenção ideal pode ser obtido com aplicações menos freqüentes.


SUPERDOSE - DIPROGENTA


O uso prolongado e excessivo de corticosteróides tópicos pode suprimir a função do eixo hipófise/supra-renal, resultando em insuficiência supra-renal secundária. Uma superdose isolada de gentamicina em geral não produz sintomas. O uso prolongado excessivo de gentamicina tópica pode levar a crescimento de lesões por fungos ou bactérias resistentes. Indica-se tratamento sintomático adequado. Sintomas de hipercorticismo agudo são virtualmente reversíveis. Caso necessário, tratar o desequilíbrio eletrolítico. Em casos de toxicidade crônica, recomenda-se a retirada gradativa do corticosteróide. Recomenda-se tratamento antifúngico ou antibacteriano adequado em caso de crescimento de microorganismos resistentes.

DIPROGENTA - Laboratório

Mantecorp
Caixa Postal: 18388 - CEP: 04699-970 - São Paulo - SP
Tel: 08000-117788
Email: atendimento@mantecorp.com
Site: http://www.mantecorp.com

Fonte de informação: www.bulas.med.br

11 de maio de 2010

Biossegurança




Biossegurança 
CONCEITOS E DEFINIÇÕES

Anti-sepsia: é a eliminação das formas vegetativas de bactérias patogênica e grande parte da flora residente da pele ou mucosa, através da ação de substâncias químicas (anti-sépticos).
Anti-séptico: substância ou produto capaz de deter ou inibir a proliferação de microrganismos patogênicos, à temperatura ambiente, em tecidos vivos.
Assepsia: Método empregado para impedir que um determinado meio seja contaminado. Quando este meio for isento de bactérias chamamos de meio asséptico.
Bactérias: forma vegetativa; quando estão realizando todas as suas atividades metabólicas, como respiração, multiplicação e absorção. Os microrganismos, na cavidade bucal, estão na forma vegetativa.
Contaminação cruzada: é quando há interposição nos ciclos de contaminação entre um ou mais pacientes. As barreiras contra a contaminação, BEDA, são os meios indispensáveis para se evitar a contaminação cruzada, dentro de um consultório.
Degermação: é a remoção de detritos, impurezas, sujeira e microrganismos da flora transitória e alguns da flora residente depositados sobre a pele do paciente ou das mãos da equipe odontológica através da ação mecânica de detergente, sabão ou pela utilização de substâncias químicas (anti-sépticos).
Descontaminação: tem por objetivo a função dos microrganismos sem eliminação completa devido à presença de matéria orgânica, realizado em instrumentais e superfícies.
Desinfecção: é a eliminação de microrganismos patogênicos na forma vegetativa de consultório e demais ambientes da clínica, geralmente é feita por meio químicos (desinfetantes).
Desinfestação: exterminação ou destruição de insetos, roedores e outros seres, que possam transmitir infecções ao homem.
Desinfetantes: substância ou produto capaz de deter ou inibir a proliferação de microrganismos patogênicos em ambientes e superfícies do consultório, à temperatura ambiente.
Detergente: substância ou preparação química que produz limpeza; possui uma ou mais propriedades: tensoatividade, solubilização, dispersão, emulsificação e umectação.
Equipamento de proteção individual (EPI'S): são equipamentos de proteção utilizados pelo profissional, pessoal auxiliar, paciente e equipamentos, a fim de evitar contaminação e acidentes (gorro, máscara, avental, luvas, óculos de proteção...)
Esporos: os esporos nada mais são que a forma mais resistente dos microrganismos, sendo mais difícil de serem eliminados.
Esterilização: é a destruição dos microrganismos nas formas vegetativas e esporuladas. A esterilização pode ser por meio físico (calor) ou químico (soluções esterilizantes).
Esterilizante: agente físico (estufa, autoclave) ou químico (glutaraldeído 2%, formaldeído 38%) capaz de destruir todas as formas de microrganismos, inclusive as esporuladas.
Infecção cruzada: é a infecção ocasionada pela tranmissão de um microrganismo de um paciente para outro, geralmente pelo pessoal, ambiente ou um instrumento contaminado.
Infecção endógena: é um processo infeccioso decorrente da ação de microrganismos já existentes, naquela região ou tecido, de um paciente. Medidas terapêuticas que reduzem a resistência do indivíduo facilitam a multiplicação de bactéria em seu interior, por isso é muito importante, a anti-sepsia pré-cirúrgica.
Infecção exógena: é aquela causada por microrganismos estranhos a paciente. Para impedir essa infecção, que pode ser gravíssima, os instrumentos e demais elementos que são colocados na boca do paciente, devem estar estéreis. È importante, que barreiras sejam colocadas para impedir que instrumentos estéreis sejam contaminados, pois não basta um determinado instrumento ter sido esterilizado, é importante que em seu manuseio até o uso ele não se contamine. A infecção exógena significa um rompimento da cadeia asséptica, o que é muito grave, pois, dependendo da natureza dos microrganismos envolvidos, a infecção exógena pode ser fatal, como é o caso da AIDS, Hepatite B e C.
Procedimento crítico: é todo procedimento em que existe a presença de sangue, pus ou matéria contaminada pela perda de continuidade.
Procedimento semicrítico: todo procedimento em que existe a presença de secreção orgânica (saliva) sem perda de continuidade do tecido.
Procedimento não-crítico: todo procedimento onde não há presença de sangue, pus ou outra secreção orgânica (saliva). Em Odontologia não existe este tipo de procedimento.



Bibliografia:
"
Manual técnico de biossegurança e controle de infecção cruzada"

Total de visualizações de página